Ivan Maldonado Online

"Atendimento de segunda a domingo a partir das 17h30"

Efeito colateral bizarro de Covid faz mulher tirar roupa e beber sabonete

covid
Imagem ilustrativa

Desde o início da pandemia de coronavírus, várias pessoas que contraíram a doença relatam que tiveram algum efeito colateral. No Catar, por exemplo, segundo o portal Metrópoles,  uma mulher de 30 anos, moradora de Doha, precisou ser internada depois de sofrer uma complicação psiquiátrica relacionada à infecção pelo novo coronavírus.

Com delírios e mania de perseguição, a jovem se despiu em público, lavou as próprias roupas na pia de um banheiro e bebeu cerca de 100 ml de sabonete.

De acordo com os médicos que ficaram à frente do caso, ela não tinha histórico de doenças mentais e foi hospitalizada com pneumonia ocasionada pela Covid-19. Além disso, a paciente teve sintomas como tosse leve e perda de olfato e paladar.

“Covid-19 é uma causa reconhecida de delírio e também foi relatada em associação com manias”, escreveu a equipe do professor Peter Haddad. Os delírios afetam 15% dos pacientes adultos da Covid-19 e 20% dos com mais de 65 anos, segundo um estudo feito no King’s College, da Inglaterra, com dados do aplicativo ZOE Covid Symptom Study.

A paciente, que não teve o nome identificado, foi levada ao hospital por um parente logo após beber o sabonete líquido. Ela ficou com vergonha, mas explicou que havia gostado do cheiro e do sabor.

“Ela estava agitada e falava demais. Além disso, parecia confusa, conversando com pessoas que não estavam lá, chamando membros da família pelo nome errado e, em uma ocasião, tirando a roupa sem motivo”, escreveram os médicos.

Os pesquisadores contam que, embora tivesse dormido mal por vários dias, a mulher não aparentava estar cansada. Ela passou um período vagando pelo local e pedindo para ir para casa até ser internada.

“No dia seguinte à internação, ela lavou as roupas no banheiro, mas não conseguiu explicar suas ações. Em outra ocasião, ela relatou breves alucinações visuais, vendo pássaros na enfermaria quando não havia nenhum”, completaram os autores do artigo.

Com informações: Metrópoles

(Mais notícias do Mundo)

Gostou da matéria. Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram